Ally e Ryan

Ally e Ryan

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Um passeio pela nossa cidade em 1987/1988

video

2 comentários:

  1. Olá Grande Ari:
    Onde você garimpou esse recorte do passado?
    O prédio ao lado do Colégio São Bento, era minha passagem diária na década anterior ao vídeo. Eu entrava pelo piso Viaduto, saia pelo piso Prestes Maia, para entrar no prédio ao lado (que também aparece no vídeo). Durante cerca de um ano trabalhei alí, onde estava um escritório da obra do metrô.
    O tapume que aparece é da obra do túnel Ahangabau Norte, na época do Jânio. Em 89 lá estava eu, trabalhando no escritório de campo da Emurb, gestão Erundina. Eu havia sido demitido do Metrô, na greve dos seis dias (tb tivemos nossa "guerra" dos seis dias), em novembro de 88, estando eu em férias... É claro que fui incluído na lista pela minha militância político-sindical.
    Na época da euforia petista do governo Erundina, meus colegas de militância sindical, assumiram a Emurb (Zé Vitor, presidente havia sido o secretário geral do sindicato. Era engenheiro projetista do Metrô, assim como Mac Fadden que virou Vice da Emurb. Eram chamados por ela de "meus meninos" da Emurb. Todos subordinados ao Secretário de Serviços e Obras Otávio Azevedo, ex-presidente do Sind. dos Metroviários, cujo chefe de gabinete era outro colega, também projetista sempre requisitado para realizar projetos em outras capitais.
    Eu e alguns colegas demitidos fomos contratados por uma terceirizada, onde permanecemos até quase todos, sermos aprovados em concurso público.
    Depois o malufão demitiu quase todos nós... Mas aí é outra história.
    Viu o que deu Você abrir esse espaço? Desatou minha memória e me obrigou a ocupá-lo. Espero que não tenha esgotado sua paciência.
    Puta abracito! (repetindo Carlito Maia)
    Ailton.
    PS: o quê devo escrever em "comentar como"?

    ResponderExcluir
  2. Ailton, você tem histórias interessantes para contar. Aliás, estou pensando em entrevistá-lo quando ingressar na gestão Erundina. São momentos que nossa memória não consegue esquecer.
    Com relaçãoao ao vídeo, quem me ajudou foram dois amigos da FAU que estão acompanhando.

    ResponderExcluir